segunda-feira, 18 de junho de 2012

O Bandido da Luz Vermelha


Esta é a imagem do Jazigo de João Acácio Pereira da Costa, mais conhecido como "Bandido da Luz Vermelha" (Joinville, 24 de junho de 1942 — Joinville, 5 de janeiro de 1998),  que se encontra sepultado no Cemitério São Sebastião, bairro Iririu, em Joinville/SC.
O jazigo  é revestido em piso cerâmico, sem tampa concretada e lápide de identificação, possuí somente inscrições feitas com tinta, e ao que tudo indica trata-se de tinta plástica, na cabeceira do túmulo;  e mais alguns vasos e flores de plástico. 
 Na inscrição identifica-se: "BADIDO DA LUZ VERMELHA, JOÃO ACASSIO, TERROR DA DECADA DE 60". 



Conforme relata o responsável por sepultamentos do Cemitério São Sebastião, logo depois da morte de João Acácio, o jazigo foi bastante visitado e procurado pela população. Pessoas que o conheceram ainda em vida contavam e relembravam as histórias e as confusões. Hoje é visível o abandono/esquecimento com relação ao jazigo e até mesmo ao personagem/criminoso que o mesmo representava. 
Nos últimos tempos tenho conseguido visitar com frequência o jazigo, acompanhada de amigos e curiosos, espero que este post motive ainda mais visitas, pessoas que relembrem e partilhem suas vivências e memórias deste personagem tão polêmico, paradoxal e emblemático da história criminal brasileira.

ALGUNS ASPECTOS BIOGRÁFICOS
João Acácio ficou órfão com apenas quatro anos. Na adolescência, para fugir dos furtos praticados em Santa Catarina, muda-se para o estado de São Paulo; residia em Santos e praticava seus crimes em São Paulo capital. 
Seu estilo de cometer os crimes (sempre nas últimas horas da madrugada, cortando a energia das casas, usando um lenço para cobrir o rosto e carregando uma lanterna com bocal vermelho) chamou a atenção da imprensa, que o apelidou de "Bandido da Luz Vermelha", em referência ao criminoso americano da década de 1950, Caryl Chessman, que levava o mesmo apelido. 
A polícia demorou seis anos para identificá-lo, conseguindo somente após ele deixar suas impressões digitais na janela de uma mansão.
João Acácio, foi preso em 08 de agosto de 1967. 4 assassinatos e 77 assaltos foram atribuídos à ele. Sua pena foi estipulada em 351 anos, 09 meses e 03 dias; cumpriu 30 anos e foi solto, pois havia cumprido a pena máxima permitida no Brasil. Quando saiu, em agosto de 1997, demonstrava distúrbios e transtornos psicológicos, procurava reviver e reincorporar o personagem que o tornou famoso na década de 1960.
Ao sair da prisão João Acácio retorna à Joinville/SC e passa a morar com o pescador Nelson Pinzegher, na região da Vigorelli, no interior do bairro Cubatão, da mesma cidade. Logo ocorrem confusões e desentendimentos e no dia 05 de janeiro 1998 o pescador, alegando legítima defesa, disparou um tiro que acertou a cabeça de João Acácio, o que foi responsável por lhe causar a morte.

O RECONHECIMENTO DE LUZ VERMELHA
Sua vida de crimes foi registrada no filme O Bandido da Luz Vermelha de 1968, dirigido pelo cineasta brasileiro Rogério Sganzerla, sendo vivido/interpretado pelo ator Paulo Villaça. Apesar de ser um filme baseado em fatos verídicos, ele tem pouca relação com a vida de João Acácio ou de seus feitos como criminoso. O argumento do longa não foi o de biografar exatamente a trajetória do Bandido, mas sim de aproveitar e explorar o contexto, cenário e atmosfera que ele havia criado em torno dele mesmo como um fora da lei. 
Confira uma cena do filme de Sganzerla por aqui, disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=PgomitfqCzM>.  
Sem sombra de dúvidas um grande filme.
 João Acácio também virou música nas mãos do grupo Ira na música "Rubro Zorro", que abre o terceiro disco Psicoacústica (1988). A faixa ainda tem algumas falas do filme de Rogério Sganzerla comentado anteriormente. Confira a música e a letra
 disponível em: <http://letras.mus.br/ira/46413/>.
O cantor Patrick Horla também fez uma menção ao Luz Vermelha na música "O bandido da lupa vermelha".
Foi satirizado pelos humoristas do programa Hermes & Renato da MTV com o "Melô do Bandido da Luz Vermelha", que se encontra disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=B_RWr8uq1Ns>.
Neste ano foi lançado o filme "Luz nas trevas - "A volta do bandido da luz vermelha", que é dirigido por Ícaro Martins e Helena Ignez, viúva de Rogério Sganzerla (diretor do original "O bandido da luz vermelha"). Neste filme quem interpreta João Acássio é Ney Matogrosso.  Veja o trailer disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=JSWmVUNtTyY>.
Agora fica a provocação de conferir as músicas, os filmes, visitar o jazigo, contar e ouvir as histórias; buscar saber e pesquisar mais, e não esqueçam de socializar por aqui.
Fonte base para o texto: Wikipédia. João Acácio Pereira da Costa. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Ac%C3%A1cio_Pereira_da_Costa> Acesso em: 18 jun 2012.

9 comentários:

  1. Muito boa a pesquisa e as informações, Graci!! Tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente, logo após sua saída da prisão e vinda para Joinville!! Realmente, uma figura triste para uns e folclórica para outros!!!

    Beijão
    DOUG

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto, Graci. Parabéns!
    A título de curiosidade: Eu morava atrás do cemitério, no Iririú, na época em que ele foi morto. Fui algumas vezes ao jazigo e este era sempre bem cuidado. Na época não tinha azulejos. Era de cimento mesmo, e pintado de verde. Sempre tinham flores de plásticos e muitos (muitos mesmo) bilhetes apaixonados de uma mulher que dizia amar João Acácio. Não tinham assinaturas, mas eram bilhetes de amor como qualquer outro...repletos de declarações!!

    ResponderExcluir
  3. Ficar endeusando bandido é uma das tristezas deste país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente. O cara era um monstro. Já foi tarde.

      Excluir
    2. Ficar endeusando policial e politico é a grande vergonha do país, esse cara não era bandido, se ele fazia isso é porque ele tinha um motivo.

      Excluir
  4. A ideia é utilizar estes personagens no sentido folclórico (produzido pela mídia) e contraventor/transgressor (diante da sociedade) de uma época.
    É comum tomarmos exemplos de outros países com estas trajetórias através de filmes, jogos, documentários e livros.

    ResponderExcluir
  5. queria ter conhecido esse cara sou fan dele prb!!

    ResponderExcluir
  6. Diego você já pode ver os filmes sobre ele?
    No Link abaixo você poderá assistir ao filme na íntegra:
    https://www.youtube.com/watch?v=UfUpwNO0KCg

    ResponderExcluir
  7. gostaria se você me desse um retorno.
    Estou pensando em fazer um projeto e dissertação mestrado sobre o bandido da luz vermelha.
    obrigado
    josiel
    jjme@ibest.com.br

    ResponderExcluir